Total Pageviews

Wednesday, December 31, 2014

Feliz 2015

"Não sei...
Se a vida é curta
ou longa demais para nós,
mas sei
que nada que vivemos
tem sentido,
Se não tocarmos
o coração das pessoas." Cora Coralina


Tuesday, December 30, 2014

Retrô


Sarau de Literatura Indaiatuba
O ano voou mais uma vez eu voei com ele em muitas idas e voltas. Ano par, tempo impar, gente partindo, gente chegando. A vida da gente é assim um trem sem rumo, um avião decolando a cada três minutos. Muito as perguntas mas continuo procurando velhas respostas, rabisco o papel, digito com as pontas do dedos invejando a juventude já conectada em uma nova geração.                                  Olho no espelho, leio, escrevo a literatura tem sido um desafio, uma amada que tento conquista diariamente e essa busca, essa jogo de sedução e conquista girando em torno da palavra, da criação, da imaginação, da fertilidade, do prazer pela busca de significados vão me distraindo e me iludindo na fantasia que ainda sobrou, na utopia que ainda pulsa num velho coração. Os cabelos embranquecem, de vez em quando encontro um velho amigo. O tempo continua sendo nosso grande enigma e nosso grande tesouro. Feliz 2015! Sem promessas que não vamos cumprir, sem expectativas que possam nos frustrar,  um ano impar, para amar e viver cada dia como se fosse o ultimo de nossas vidas. E só....

Saturday, December 20, 2014

A uma amiga oculta

por Janio Ribeiro 

Amigos ocultos, secretos, ou qualquer adjetivação para a troca de presentes no final de ano nem sempre faz justiça ao conceito...

E isso é uma complexidade que nem mesmo os números inteiros elevados a uma potência x, dividida por y, somada a conjuntura atual  e a tendência futura poderia explicar.

Mas afinal a vida não é um mar de explicações, a vida da gente é o cotidiano com seus inúmeros desafios, o de compreender quem somos e para onde vamos;  O de aceitar os outros como eles são e não como gostaríamos que eles fossem; o de compreender a realidade e nela se inserir sem deixar de lado a criatividade dos sonhos que permeiam nossa existência.

Ser uma filosofia de vida talvez seja mesmo isso, estar na estrada... alçar voos... não aceitar o fardo das contradições sem contudo enfrentá-las com a assertividade que nos é cobrada.

Este ano voou. Conheci tanta gente interessante, aprendi e ensinei, encarei desafios e tive oportunidades de me reinventar com ser humano e como profissional. Dentre as várias e variáveis pessoas que tive o prazer de conhecer você sem margem de erro foi uma delas.

"bela bela 
mais que bela
mas como era o nome dela?
Não era Helena nem Vera
Nem Nara nem Gabriela
Nem Tereza nem Maria
seu nome era..."
                                   Ferreira Gular, in poema sujo.



Monday, November 17, 2014

Poesia: Ando








                                                                              Imagem Ilustrativa : Brigitte Bardot em La Verité, de Henri-Georges Clouzot, 1960

Ando...

por Janio Ribeiro 

Ando pensando...
Algo raro em dias letais,
Vejo imagens e recebo mensagens
mas o mundo não pára para ouvir lamentações...
Ando pensando e o google segue meu passos,
Sabe onde piso e para onde não vou...
Quem eu sou,
Sou a memória esquecida, talvez nem isso.
Mas resisto, insisto, ando...
Rascunhando novas idéias 
E lembrando o que não vivenciei,
Os amores que me escaparam,
As vitórias e as derrotas,
O espelho quebrado em tantas dimensões.   Janio Ribeiro

Saturday, November 15, 2014

:.Solange.:: Geometria de Ícaro

:.Solange.:: Geometria de Ícaro: Geometria de Ícaro O céu côncavo abarca o vôo. O sol oblíquo derrete a cera e o sonho. O mar convexo recebe a queda . Solange...

Wednesday, November 12, 2014

Crônica: Janio Ribeiro


Viagens espaciais de uma noite qualquer



Dizem que o cometa colou no rabo de um robô. Ops.                           
__ É o contrário, é o con-trá-rio. Sim robô foi você que pousou num cometa caudaloso desses que as vezes passam a cada 100 anos por ai. E tem tanto robô na rede social que Matrix tá virando peça de ficção ultrapassada. E o meu androide que disse que  precisa de uma configuração, pois se recusa a funcionar.
robô ficou surfando no espaço sideral até acoplar num cometa. “Esse é um grande passo para civilização teria dito Jean Jacques que de russo não tem nada, nem toma Lacam explica. Tá bom é Freud que explica.
E levante a mão quem acha que o surto de nudez de m Porto Alegre é obra de marketing. Agora abaixa a mão quem acha que Juiz é Deus.
Se eu pudesse pegar num rabo de um cometa e sumir por ai visitando galáxias alhures, escrevendo poesias com gravidade, conhecendo e desvendado os segredos que une os versos soltos na imensidão cósmica.
Galoooooooooooooooooooooooooooooooooo! E o Atlético acaba de fazer segundo gol.

Wednesday, November 05, 2014

Olhando estrelas

Janio visitando a exposição de artes das crianças


Crônica de Janio Ribeiro 

Respondam com sinceridade vocês leram minha mensagem no whatsapp? Creio que não porque eu não me rendi ainda a esta febre juvenil.
Não sei se andam lendo o que eu escrevo. Mas eu sinto que preciso ao menos dizer algo, mesmo que seja uma palavra vazia,
ou uma frase desfeita de um clichê antigo.
Já não estou aceitando amizades em redes sociais no piloto automático, ando no modo avião. São tempos difíceis, a seca no sudeste  trouxe  um ódio que se alastra sul acima.
Vejo que que nesta madrugada haverá chuva de meteoro vinda das estrela táuridas, espero que além do espetáculo que fascinam as crianças e encantam idosos com o  mito da estrela cadente,  venha alguma noticia da resistência que a princesa Léia e os Jedais travam para preservar a democracia que anda ameaçada pelo ressurgimento do lado sombrio da força.

                            04/nov/2014

Acrísio Camargo chega a sua 10º edição e vira tradição na literatura Indaiatubana




10º CONCURSO LITERÁRIO “ACRÍSIO DE CAMARGO”
(POESIA, CONTO e CRÔNICA)

"Nosso campo florente é tão vasto e bonito,
tua alma sombria tem encanto e poesia"  

Encerrou em outubro as inscrições para  10º CONCURSO LITERÁRIO “ACRÍSIO DE CAMARGO” (POESIA, CONTO e CRÔNICA
O  concurso é resultado da parceria entre o Jornal “Tribuna de Indaiá” e a Prefeitura Municipal de Indaiatuba, através da Secretaria Municipal de Cultura.
Tem como    Objetivo Divulgar o nome do autor da letra do “Hino de Indaiatuba” e incentivar a produção literária no Estado de São Paulo.  

a. Entende-se por Poesia: obra literária apresentada geralmente em versos e estrofes   (ainda que possa existir prosa poética, assim designada pelo uso de temas específicos e de figuras de estilo próprias da poesia). Para esta categoria não existem limites de linhas (laudas);
b. Entende-se por Conto: a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho). Entre suas principais características, está a concisão, a precisão, a densidade, a unidade de efeito ou impressão total. Para esta categoria os contos deverão ter no máximo 5.000 (cinco mil) caracteres;
c. Entende-se por Crônica: uma narração, segundo a ordem temporal. O termo é atribuído, por exemplo, aos noticiários dos jornais, comentários literários ou científicos, que preenchem periodicamente as páginas de um jornal, ou seja, um tema cotidiano. Para esta categoria as crônicas deverão ter no máximo 5.000 (cinco mil) caracteres;

Quem foi Acrísio Camargo?

Fonte: http://museucasaraopaupreto.blogspot.com.br/



ACRÍSIO DE CAMARGO
Nasceu Acrísio de Camargo a 10 de fevereiro de 1899 na vizinha cidade de Jundiaí. Ainda pequeno foi para Indaiatuba onde fez os primeiros estudos e se iniciou em farmácia. Nessa profissão, a que adotou para toda a vida, trabalhou em São Paulo, Rio de Janeiro, Tietê, Sant’Ana do Parnaíba, Cabreúva e Itu.
Em 1927 contraiu matrimonio com Maria do Carmo Motta, nascendo dessa união os seguintes filhos: Benedito, José Jesus e Elizabeth.
Fora de sua profissão, Acrísio de Camargo dedicou-se à poesia, ao folclore, ao teatro e a pintura.
Dedicou-se ao rádio, tendo trabalhado na Rádio Educadora de São de São Paulo, logo no início dessa emissora.
Por motivos particulares deixou-a. Tempos depois ingressa na Rádio Tupi de São Paulo. Durante o ano que aí permaneceu apresentando seus poemas sertanejos, foi o artista que mais cartas recebeu. Mais tarde é convidado a trabalhar na Rádio Clube do Brasil. Recusa porém e retira-se definitivamente da rádio.
Poeta, Acrísio de Camargo, nasceu. Já em 1921 os semanários Ituanos publicavam seus versos. Durante muito tempo a revista Atalai se encarregou de difundi-los pelo Brasil afora. Como folclorista, publicou “Lorotas”, edição esgotada e deixou pronto para impressão “Uma Festa na Roça” e “Quadros Na Roça”(folclore) e “Poemas Caboclos” e “Roça e Troça”(poesia sertaneja). Tem duas comédias escritas, já levadas várias vezes a cena “De Pato a Ganso” e “Garota Endiabrada”. Como pintor foi um autodidata. Começou a pintar em 1945. Seus trabalhos passam de uma centena. Era sócio da Associação Paulista de Belas Artes e concorreu a 7ª e 8ª Exposição dessa sociedade em 1948 e 1949 com os trabalhos “Paisagens Cabreúvana” e “Rua da Palma” respectivamente.
No 1º Salão Jundiaiense de Belas Artes em 1951, alcançou o 1º prêmio, junto com outro artista, com o quadro “Velho Beco”. Foi-lhe oferecido nessa ocasião um diploma.
Faleceu a 25 de fevereiro de 1953 em Campinas.
Tribuna de Indaiá
08 de dezembro de 1974


















http://www.indaiatuba.sp.gov.br/cultura/concursos/concurso-literario-acrisio-de-camargo/

Saturday, November 01, 2014

01/Nov/2014 Sobre a marcha da insensatez

Portinari 
Crônica por Janio Ribeiro


             Eu tenho dito, e agora repito. Se há tempo para um café há de haver tempo para uma poesia. O universo continua em expansão, mas tem mente humana que domesticada pela repetição de comandos teleguiados está em contração.
             Já não enxergam nada além do próprio umbigo e da telinha celular que carrega consigo. Dá risada de piadas inúteis e manifesta uma deprimente raiva de tudo. Se pudessem e ao menos coragem tivessem iriam embora do País, mas na falta de ambas, ficam na ameaça infantil de furar a bola se perderem  o jogo. Uma tática antiga diga-se de passagem, quando ganham há 20 anos é a democracia perfeita, quando perdem há doze sacam da cartola uma tal de alternância de poder, será que não seria abstinência?
             Falam em democracia do mesmo jeito que os militares falavam em 1964! A época ficaram 20 no poder! O fato é que para essas mentes  brincar de democracia tudo bem desde que o Estado continue onde sempre esteve a serviço dos poderosos. Democracia tudo bem, desde que as domesticas, os negros, os gays, os pobres, as putas saibam seus lugares na República.
             Cuidado com eles, eles tem alergia de democracia e não ousarão e continuar instigando o golpe quer seja nas jogatinas da bolsa de valores, ou nas páginas de suas mídias cínicas que continuam onde sempre estiveram do lado dos que derrubaram Jango.
             Por isso se sentir algum ódio e alguma vontade de fugir do país, não procure um médico porque boa parte deles estão com os mesmos sintomas. Procure ajuda de especialistas, procure  alguns professores e bons livro de história. Boa leitura!
           
           

Campo


Liberdade

Liberdade 
           
                                                     O mundo será sempre o conflito.
                                                     Entre a liberdade e o autoritarismo.
                                                     A democracia absorve e civiliza a disputa.
                                                     Mas a democracia requer uma cultura democrática
                                                     Requer uma memória e uma verdade que
                                                     conheça exatamente o que o foi arbítrio,
                                                     para jamais flertar com ele novamente.
                                                     O cães derrotados ladram
                                                     Eu canto a democracia numa poesia.

                                                                                             Janio Ribeiro
                                         


Friday, October 31, 2014

Crônica: #Itabira 112

Janio Ribeiro 

Crônica:   #Itabira 112

E lá se vão 112 anos entre muitas pedras no meio do caminho e outras tantas contradições do tempo presente,  que remete ao passado como se  Janus o Deus grego brincasse no Olimpo, mas continuamos tentando ser gauche na vida...
Itabira continua sendo um retrato na parede  de um  twitter ou como tem sido mais moderno de um video compartilhado no iPlhone atravez do WhatsApp, iPhone da Apple cujo presidente   Tim Cooke a anunciou ontem, que  é gay com muito orgulho e graças a Deus. È tempo de primavera de celebrarmos as várias cores da vida, do arco iris, da diversidade.
Itabira continua lá onde sempre esteve Minas Gerais, e se o assunto ainda é a histórica eleição de 26 de outubro, Itabira aparece vermelha no mapa como 52% de votos para a reeleita Dilma Roussef.
Talvez uma poesia coubesse neste dia D, talvez ainda valesse a pena acreditar em bruxas e nas poções que ainda há curar doenças como o ebola ou a Aids, ou quem sabe sair pelo sertão de Minas a procura do Saci danado e suas travessuras diversas.
As ações da Vale cairam, mas isso pouco importa, Itabira respira aliviada com suas pedras de ferro pelas calçadas e suas poesias esculpidas na memória a procura, quem sabe, de um retrato na parede para ilustrar um perfil do facebook.

Mas pouco importa se ações da Vale cairam, a ação que vale é a da energia poética que ainda pulsa nos fluxos da vida. Hoje mesmo eu recitei trechos de sua poesia: Não serei o poeta de um mundo caduco/Também não cantarei o mundo futuro/Estou preso à vida e olho meus companheiros/Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças/Entre eles, considero a enorme realidade/O presente é tão grande, não nos afastemos/Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas  (Carlos Drummond de Andrade) 





Saturday, September 27, 2014

Outubro Literário: Primavera das letras em Indaiatuba. Participem

Notícias

Outubro Literário tem prosa e poesia nas praças, centros culturais e até nos ônibus da cidade

  • Publicação: 25/09/2014 11:40h
  • Redator(es): Adriana Panzini
  • Release N.º: 1348

Foto
Foto: Divulgação
A Secretaria Municipal de Cultura promove a partir do próximo dia 3, nova edição do festival Outubro Literário, iniciativa que celebra a literatura e tem como objetivo estimular o interesse de crianças e adultos pelo universo da leitura e da escrita. Este ano moradores e visitantes poderão conferir uma série de novidades, incluindo escritores praticando seu ofício ao vivo em plena praça pública, performances poéticas dentro de ônibus da cidade, intervenções artísticas com trechos de obras de William Shakespeare em locais públicos, palestras com convidados especiais, além de ações já tradicionais como a Feira de Troca de Livros e o Sarau Todas Palavras. Confira a programação completa abaixo e prestigie os eventos com a família e os amigos, a entrada é franca. Informações (19) 3894-1867.
Programação Festival Outubro Literário 2014
Dia 3 de outubro – sexta-feira – 15h – E.E. Suely Maria Cação Ambiel Batista
Palestra Prosa Versada com Allan da Rosa – dirigido aos alunos do 3º ano do Ensino Médio
Allan da Rosa é escritor, poeta, educador e capoeirista. É graduado em História e mestre em Cultura e Educação pela Universidade de São Paulo. Envolvido com a periferia e promotor de oficinas de cultura e arte de matriz afro, seu nome já extrapola as rodas literárias da periferia paulistana e é reconhecido em outras cidades e na comunidade acadêmica.
Dia 3 de outubro – sexta-feira – 20h – Centro de Convenções Aydil Bonachella
A Calimba e a Flauta, com Allan da Rosa
Allan da Rosa é escritor, poeta, educador e capoeirista. É graduado em História e mestre em Cultura e Educação pela Universidade de São Paulo. Envolvido com a periferia e promotor de oficinas de cultura e arte de matriz afro, seu nome já extrapola as rodas literárias da periferia paulistana e é reconhecido em outras cidades e na comunidade acadêmica.
Dia 4 de outubro – sábado – 19h – Centro Cultural Morada do Sol
Zé Bocca em “Histórias do meu avô”: o contador de causos e orquestra de viola caipira de indaiatuba
Zé Bocca é ator, contador de histórias, coordenador e apresentador do projeto Violas, Causos e Crendices, em Votorantim. Venceu o Festival de Humor de Sorocaba na categoria Causos e Mentiras em 2007. É membro da RIC (Red Internacional de Cuentacuentos). É vice-presidente do Instituto Conta Brasil (Instituto dos Contadores de Histórias do Brasil). Ministra oficinas e palestras sobre a arte de narrar histórias, junto a órgãos municipais, estaduais, federais, empresas privadas e ONGs. Já percorreu diversas capitais brasileiras como Porto Alegre, Rio de Janeiro, Fortalez, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Salvador e São Paulo. Neste espetáculo apresenta causos do universo caipira, frutos de sua pesquisa, com personagens comuns do interior paulista, especialmente aqueles ligados ao ciclo do Tropeirismo. A atividade contará com a participação da Orquestra de Violeiros - alunos das oficinas de viola caipira da Secretaria de Cultura de Indaiatuba.
Dias 6, 13, 20 e 27 de outubro – segundas-feiras – 16h às 19h – Linhas de ônibus
Poesia em Trânsito
Performances poéticas dentro de ônibus de Indaiatuba. Entre idas e vindas, em meio aos fluxos que a vida nos impõe, encontramos palavras. Dentre as várias palavras que nos perpassam todos os dias, algumas nos colocam em outra dimensão. Como se da vida pudéssemos extrair algo além do mero cotidiano, algo além do visto pelos olhos. Distribuir essas palavras é a intenção do "Palavras em trânsito", que levará poesia para um dos lugares mais comuns e inesperados: um ônibus! No meio de suas viagens aparentemente comuns, os passageiros serão surpreendidos por poemas de grandes nomes da poesia brasileira recitados por artistas que, até então, eram passageiros como quaisquer outros. Os artistas:
Marcus Mazieri é ator e poeta. Faz parte do Grupo Gandaiá, que realiza atividades artísticas em Indaiatuba desde 2008. Integra também o coletivo teatral Cia Trova 8. Foi premiado duas vezes na categoria poesia no Prêmio Acrísio de Camargo (2011 e 2012) e finalista em poesia do Mapa Cultural Paulista 2012. Publica poemas e artigos no blog mmazieri.blogspot.com . Marcus, graduado em Geografia pela UNICAMP, formou-se como ator no curso de Humor da SP Escola de Teatro, onde atualmente dá continuidade aos estudos no curso de Dramaturgia. Pamella Martelli é atriz, arte-educadora e contadora de histórias. Graduada em Teatro pela Escola Superior de Artes Célia Helena e atualmente aprendiz de Dramaturgia na SP Escola de Teatro. É integrante do coletivo de Jongo Filhos da Semente, de Indaiatuba-SP. Seus estudos em teatro se iniciaram em 2001, na Cia Cena Set, em Alfenas-MG. Pamella já participou de montagens dirigidas por Eduardo Okamoto, Daves Otani, Ruy Cortez, Marco Antônio Pâmio e Bete Dorgam. Em 2013 estreou, com Marina Costa, a contação da história “Dandara”, de Vanderlei Benedito Bastos, no SESC- São Carlos.
Dia 9 de outubro – quinta-feira – 19h às 20h30 - Centro Cultural Morada do Sol
Escritas Daqui com Coletivo Estoriadores
Escritas Daqui é um bate-papo informal, entre autores locais e público, sobre leitura, escrita e suas influências. Nesta edição, o convidado é o coletivo Estoriadores, grupo formado por autores (as) e blogueiras de Indaiatuba e região que discutirá, além das suas próprias produções literárias, temas que prometem render um bom bate-papo com o público como criatividade, blogs literários e as diferenças entre literatura nacional e internacional.
Dia 11 de outubro – sábado – 10h às 12h – Praça Dom Pedro II
Vende-se Poesia de Graça!
Evento em que escritores praticarão seu ofício em plena praça pública. Com seus instrumentos de escrita à mão, distribuirão versos e poemas improvisados para os passantes que comprarem esta ideia! Não perca, vá buscar seu poema! Escritores: Gabriel Augusto é ator na Cia Trova 8 e, recentemente, tem se arriscado em literatura e poesia. Sua formação é multifacetada: filho de uma pianista, iniciou-se artisticamente na área musical, cursando viola erudita na Fundação Cultural Cassiano Ricardo em São José dos Campos. Mais tarde, nas áreas visuais, estudou Design Gráfico pelo SENAC. Em 2010, interessado em Teatro, mudou-se para São Paulo, onde cursou Humor na SP Escola de Teatro.
Bruna Biasi escreve poesias desde os 18 anos, quando terminou o colégio. Em São Paulo, fez o curso de Palhaço no aclamado Doutores da Alegria. De volta ao interior, a poesia e a viola permaneceram cravadas em seu peito. Estas são as formas de transcender seu cotidiano atual de agricultora, ressalta a artista.
Dia 11 de outubro – sábado – 9h às 12h – Praça Dom Pedro II
Feira de Troca de Livros
Já tradicional na cidade, a Feira de Troca de Livros é uma ótima oportunidade para quem gosta de ler e quer renovar a estante sem gastar nada. Basta trazer um livro de literatura e trocar por outro de interesse que esteja disponível na banca. Há sempre opções interessantes para todas as faixas etárias.
Dia 11 de outubro – sábado – 11h às 12h – Praça Dom Pedro II
Shakespeare nas Praças
Em comemoração aos 450 anos de nascimento do poeta William Shakespeare, as praças e locais públicos da cidade serão palco de intervenções artísticas com trechos de algumas obras de William Shakespeare: A Megera Domada,Sonho de uma Noite de Verão,Romeu e Julieta e A Comédia dos Erros,representadas por atores e não atores a fim de divertir e proporcionar aos transeuntes um momento de deleite e cultura.Elenco:Alê Calefo,Beatriz Balthazar,Beatriz Souza,Mayara Ribeiro,Tamires Munhóes,Paulo C. Feijão,Kátia N. Feijão,Larissa Stocco,William Scodro,Natália Oliveira,Ludimilla Fidelly,Natália Galini,Andrei Salas.Direção: Bárbara Gaschler.
Dia 12 de outubro – domingo – 10h às 11h – Parque Temático
Shakespeare nas Praças
Em comemoração aos 450 anos de nascimento do poeta William Shakespeare, as praças e locais públicos da cidade serão palco de intervenções artísticas com trechos de algumas obras de William Shakespeare: A Megera Domada,Sonho de uma Noite de Verão,Romeu e Julieta e A Comédia dos Erros,representadas por atores e não atores a fim de divertir e proporcionar aos transeuntes um momento de deleite e cultura.Elenco:Alê Calefo,Beatriz Balthazar,Beatriz Souza,Mayara Ribeiro,Tamires Munhóes,Paulo C. Feijão,Kátia N. Feijão,Larissa Stocco,William Scodro,Natália Oliveira,Ludimilla Fidelly,Natália Galini,Andrei Salas.Direção: Bárbara Gaschler.
Dia 16 de outubro – quinta-feira – 19h às 20h30 – Centro Cultural Wanderley Peres
Prefácios, com Ricardo Lísias
Prefácios é uma das ações da Secretaria da Cultura voltadas para o fomento da Literatura. Uma oportunidade para que o público debata com estudiosos da literatura questões ligadas ao rico e vasto mundo dos livros. Ricardo Lísias é graduado em Letras pela UNICAMP e doutor em Literatura Brasileira pela USP. Ficcionista, publicou cinco romances, um livro de contos e um ebook com textos de crítica literária. Publicou textos e artigos nos principais periódicos brasileiros da área. Seus textos já foram traduzidos para o inglês, francês, espanhol e galego. (Fonte: Currículo Lattes). Foi finalista do Prêmio Jabuti de 2008 com Anna O. e outras novelas e do Prêmio São Paulo de Literatura em 2010 com O livro dos mandarins. Seu conto Tólia foi selecionado para a edição da revista inglesa Granta Os melhores jovens escritores brasileiros.
Dia 17 de outubro – sexta-feira – 19h às 20h30 – Centro Cultural Wanderley Peres
Palestra As Pequenas Editoras: Davi x Golias, com Eduardo Lacerda
Eduardo Lacerda é coeditor da Editora Patuá. Autor do livro de poemas Outro dia de folia. Coeditou a Revista Metamorfose e O Casulo – Jornal de Literatura Contemporânea; trabalhou como assistente de produção cultural na Casa das Rosas - Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura e como produtor cultural no Programa São Paulo: um Estado de Leitores. Tem poemas publicados em revistas eletrônicas e impressas e em algumas antologias. Não se considera poeta, sua verdadeira paixão é fazer nascer livros e poetas. Não se leva a sério, embora leve a sério a literatura. Por fim, gosta de truco, tango, cerveja, tarot, video-games e orquídeas.
Dia 19 de outubro – domingo – 10h às 11h – Praça Renato Vilanova (Praça do Cato)
Shakespeare nas Praças
Em comemoração aos 450 anos de nascimento do poeta William Shakespeare, as praças e locais públicos da cidade serão palco de intervenções artísticas com trechos de algumas obras de William Shakespeare: A Megera Domada,Sonho de uma Noite de Verão,Romeu e Julieta e A Comédia dos Erros,representadas por atores e não atores a fim de divertir e proporcionar aos transeuntes um momento de deleite e cultura.Elenco:Alê Calefo,Beatriz Balthazar,Beatriz Souza,Mayara Ribeiro,Tamires Munhóes,Paulo C. Feijão,Kátia N. Feijão,Larissa Stocco,William Scodro,Natália Oliveira,Ludimilla Fidelly,Natália Galini,Andrei Salas.Direção: Bárbara Gaschler.
Dia 23 de outubro – quinta-feira – 19h às 20h30 – Centro Cultural Wanderley Peres
Prefácios, com Ricardo Lísias
Prefácios é uma das ações da Secretaria da Cultura voltadas para o fomento da Literatura. Uma oportunidade para que o público debata com estudiosos da literatura questões ligadas ao rico e vasto mundo dos livros. Ricardo Lísias é graduado em Letras pela UNICAMP e doutor em Literatura Brasileira pela USP. Ficcionista, publicou cinco romances, um livro de contos e um ebook com textos de crítica literária. Publicou textos e artigos nos principais periódicos brasileiros da área. Seus textos já foram traduzidos para o inglês, francês, espanhol e galego. (Fonte: Currículo Lattes). Foi finalista do Prêmio Jabuti de 2008 com Anna O. e outras novelas e do Prêmio São Paulo de Literatura em 2010 com O livro dos mandarins. Seu conto Tólia foi selecionado para a edição da revista inglesa Granta Os melhores jovens escritores brasileiros.
Dia 25 de outubro – sábado – 9h às 12h – Praça Elis Regina (Chafariz)
Feira de Troca de Livros
Já tradicional na cidade, a Feira de Troca de Livros é uma ótima oportunidade para quem gosta de ler e quer renovar a estante sem gastar nada. Basta trazer um livro de literatura e trocar por outro de interesse que esteja disponível na banca. Há sempre opções interessantes para todas as faixas etárias.
Dia 25 de outubro – sábado – 11h às 12h – Praça Elis Regina (Chafariz)
Shakespeare nas Praças
Em comemoração aos 450 anos de nascimento do poeta William Shakespeare, as praças e locais públicos da cidade serão palco de intervenções artísticas com trechos de algumas obras de William Shakespeare: A Megera Domada,Sonho de uma Noite de Verão,Romeu e Julieta e A Comédia dos Erros,representadas por atores e não atores a fim de divertir e proporcionar aos transeuntes um momento de deleite e cultura.Elenco:Alê Calefo,Beatriz Balthazar,Beatriz Souza,Mayara Ribeiro,Tamires Munhóes,Paulo C. Feijão,Kátia N. Feijão,Larissa Stocco,William Scodro,Natália Oliveira,Ludimilla Fidelly,Natália Galini,Andrei Salas.Direção: Bárbara Gaschler.
Dia 25 de outubro – sábado – 10h às 12h – Praça Elis Regina (Chafariz)
Vende-se Poesia de Graça!
Evento em que escritores praticarão seu ofício em plena praça pública. Com seus instrumentos de escrita à mão, distribuirão versos e poemas improvisados para os passantes que comprarem esta ideia! Não perca, vá buscar seu poema! Escritores: Escritores: Lucas Fernandes Chagas, interessado por Literatura e artes em geral, é poeta diletante desde sempre. É formado em música pelo Instituto de Artes da UNESP. É professor de música e violão e como músico apresenta-se em teatros, espaços culturais e escolas de música. Fez cursos de expressão teatral e integrou o Grupo Gandaiá, pelo qual se apresentou em praças públicas e visitas voluntárias a instituições beneficentes. Nascido em Porto Alegre-RS, mora em Indaiatuba desde 1988. Foi aqui que iniciou seus estudos artísticos: foi aluno da oficina de violão da Secretaria da Cultura, com o professor Fidel de Almeida e, posteriormente, do prof. Moacyr Martins.
Victor Lobato a respeito de si e a arte:
Arte é autoconhecimento:
Quando mergulha tanto em si
Descobre-se
Universo
Explorando a linguagem arte para comunicar experiências de integração com a natureza espiritual, alma que com você compartilha o mundo.
A origem profética da poesia. Ecoa nos templos
E no dia a dia.
Sonora, poesia que desperta-nos à contemplação e à consciência dos elementos que permeiam e compõe a humana sinfonia.
Dia 30 de outubro – quinta-feira – 19h – Casarão Pau Preto
Sarau Todas Palavras
O sarau é um evento cultural onde as pessoas se encontram para se expressar ou se manifestar artisticamente. O evento integra as iniciativas permanentes da Prefeitura Municipal com foco na formação do público leitor e no fomento da cena literária em Indaiatuba. Quem tiver interesse em ler para a platéia, pode se inscrever pelo e-mail cultura@indaiatuba.sp.gov.br. Podem ser lidos trechos de obras literárias de qualquer gênero, à escolha do participante, com duração média de 10 minutos.
Serviço
Centro de Convenções Aydil Bonachella - Rua das Primaveras, 210 – Jardim Pompéia
Centro Cultural Morada do Sol - Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, nº 5924 - Morada do Sol
Centro Cultural Wanderley Peres – Praça Dom Pedro II, s/n – Centro
Parque Temático - Parque Ecológico, na altura do Jardim Monte Verde
Legenda: O contador de histórias Zé Bocca é atração no festival dia 4 com “Histórias do Meu Avô”

Saturday, September 06, 2014

Onde estão os dinossauros?

Será que dá tempo de fazer uma poesia...
Sobre asteroides e astrologia
sobre a vida e seus perigos
a caminhada e seus riscos
a mente e seus rabiscos
a trajetória circular 
os ciclos da vida
em versos unindo versos
passagens e mistérios
portais, poesias.
Universos paralelos.... Janio Ribeiro
Asteroide passará de raspão pela Terra neste domingo http://bit.ly/1u3MPgX

Foto: Asteroide passará de raspão pela Terra neste domingo http://bit.ly/1u3MPgX

Wednesday, March 19, 2014

Morada do Sol 38 anos.





Aqui reside meus sonhos 
de uma infância registrada 
em flashes dos antigos filmes Kodak...
Não faz tanto tempo assim...
Mas o tecnologia girou sem freio
 e nossa memória viva 
se enfumaçou como uma névoa...
Crescemos juntos com suas ruas, 
vimos nascer o concreto de suas avenidas... 
Fizemos a Copa do Mundo 
no campinho que nós mesmos construímos 
em terrenos baldios com grama manteiga...
                                        Janio Ribeiro, poeta. 


Parabéns Jardim Morada do Sol. E ao seu povo que venceu os velhos preconceitos de uma elite que até hoje entorta a boca para dizer que é de Indaiatuba sem lembrar contudo, que um dia também vieram de fora, e de mais longe ainda.


Wednesday, February 12, 2014

Poesia: Furo de Reportagem






Notícias já não vendem jornais...
Jornais são grátis.
Com mentiras reproduzidas
e sangue derramando.
Não há espaço para poesia
nem carta de amor.
Nem reflexões sobre
uma cidade viva,
ou sobre as ruínas
da memória a serem
restauradas.
Notícias já não vendem jornais
elas amarelaram com um telefonema.
Acreditar ou não é por sua conta
e ela cresce a cada dia

com juros extorsivos.
Talvez vale a pena a palavra cruzada
que escapou da censura
desses tempos sem
o romantismo de outros tempos...




Janio Ribeiro
BH- 12/02/2014

Seguidores

Blog Archive