Total Pageviews

Tuesday, February 27, 2018

Uma boa notícia


       A politica brasileira não cabe em qualquer poema. Não é uma Ilíada de Homero, muito menos versos de Pablo Neruda, talvez seja alguma coisa dos versos de Drummond: E agora José? 
       Talvez seja indagações de Castro Alves sobre a horror perante a escravidão. Talvez seja o sonho de liberdade tão bem rimado por Cecilia Meireles. 
      Mas, não a política brasileira não cabe em nenhum poema. Até foi versificado com beleza e lirismo no canto afinado e certeiro da Escola de Samba Paraíso do Tuiuti. 
       São tempos estranhos para a poesia. A vida é respirada em pleno meio dia. Os jornais atualizam o noticiário e nanosegundos, as intervenções invadem as avenidas como inundações de uma manhã chuvosa. Os versos, as rimas, o lirismos lilás das flores que embelezam o verão. A resistência mostra suas armas, uma palavra, um quadro, uma crônica sem nexo, uma condenação sem prova, uma eleição sem democracia, um parlamento sem representatividade.
         Páginas de Jornais voltarão a ter receitas e poemas, pelo menos está ai uma boa notícia. 
       

Sunday, February 18, 2018

Desarme-se




Mais uma escola americana é alvo de jovens psicopatas de direita e armado. Somente este ano já são cerca de 19 ataques.  
Uma pesquisa realizada em Harvard mostra que armas em casa não servem para defesa e sim para intimidação, para acidentes envolvendo crianças ou resultam em mortes as tentativas de defesas.
No Brasil cresce o apoio a liberação de armas promovidos por grupos de direita, conservadores, ligados a bancada da arma no Congresso Nacional.
No Brasil vigora desde 2003 o Estatuto do Desarmamento referendado pelo voto popular em 2005. Foram 63,94% dos votos contra a venda de armas e apenas 36,06% a favor.
Somente este ano nos EUA mais de 1800 pessoas já morreram devido a violência armada

365 poemas para 2017



Foram 365 poemas como muitos sentidos e sentimentos retratando o momento, envolvendo a participação de muitas pessoas mo facebook.










O carnaval de BH com todos os ritmos e todas as cores


         


Ao final do desfile os membros da bateria se abraçam numa euforia sem igual. Na calçada lateral um casal negros se  beijam loucamente, no outro contorno da cidade um casal de lésbica se abraça numa alegria sem fim, há alguns kilômetros dali um casal de gay realiza no palco um casamento histórico.

Cenas como essas se repetem nos diversos contornos da cidade ao ritmo do samba, do axé, do funk, do rap, do rock, do MPB, do jazz,  do mangue beat.

Se não é o maior é um dos maiores, se não é o mais glamoroso é um dos mais baratos, se não é banhado por mar, não faltam ondas de calor humano e muita purpurina.

 Não era assim.  Há 9 anos atrás as ruas de BH eram vazias diz o taxista. O carnaval aqui nasceu de repente a galera estava pe da vida com o prefeito e sem muita grana  não foram para Ouro Preto nem para Diamantina , ficaram e começaram a folia com os bloquinhos e olha só hoje onde chegou.
             
 Existem os pontos negativos, mas deixemos esses para as pessoas que não gostam de carnaval falarem.

              https://www.youtube.com/watch?v=8i9s7ohdKN0

             

Seguidores